sexta-feira, 18 de novembro de 2011

As Esganadas – Jô Soares

Caronte, dono da conceituada funerária Estige, vive atormentado pela mãe desde sempre - deve até seu nome (na mitologia grega, Caronte é o barqueiro que leva almas pelo rio Estige, fazendo a travessia entre o mundo dos vivos e dos mortos) ao humor discutível de Odília. Seu pai sempre vivera sob o domínio autoritário da mulher, e, por conta disso, ao completar 50 anos, suicida-se, deixando a funerária para Caronte.

Caronte nunca quis tomar parte nos negócios familiares - apaixonado pela música clássica (aprendeu a tocar piano de ouvido), queria ser maestro. Sua mãe, é claro, proibiu. Ela, que era gorda, também proibia o filho de comer doces e controlava sua alimentação, com receio de que ele ficasse como ela. Caronte a odiava.

Então, decidiu matá-la.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Os Espiões – Luis Fernando Verissimo


Formei-me em Letras e na bebida busco esquecer. Mas só bebo nos fins de semana. De segunda a sexta trabalho numa editora, onde uma das minhas funções é examinar os originais que chegam pelo correio, entram pelas janelas, caem do teto, brotam do chão ou são atirados na minha mesa pelo Marcito, dono da editora, com a frase “Vê se isso presta”.

domingo, 6 de novembro de 2011

A Tormenta de Espadas – George R. R. Martin

Kafka afirmou que precisamos de livros que nos afetem como um desastre, que nos entristeçam profundamente, como a morte de alguém a quem tenhamos amado mais do que a nós mesmos, como ser banido para florestas isoladas de todos, como um suicídio. Que um livro deve ser o machado para o mar enregelado que temos dentro de nós.

“As Crônicas de Gelo e Fogo” sem dúvidas tem essa capacidade. É impossível ler qualquer dos volumes já lançados da série e permanecer impassível.

ATENÇÃO: a partir daqui contém spoiler para quem não leu o volume anterior da série.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Mídia capciosa?


Com o intuito de informar, educar e entreter, a mídia, de maneira geral, já foi alvo de diversas polêmicas.

Muito já se discutiu a seu respeito, e, ao tocar nesse assunto, corre-se o risco de ser acusado da tão condenável censura – palavra delicada devido à forte repressão sofrida no país nos tempos de ditadura e que sempre é empregada com o intuito de trazer mais força e mais adeptos às mais diferentes causas.

Mas será que a mídia realmente exerce suas funções fundamentais? Até que ponto o uso de momentos dramáticos para autopromoção é aceitável?

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Minha alma para levar – Rachel Vincent

Ao se infiltrar mais uma vez na boate Taboo junto com sua melhor amiga, Emma (graças à irmã desta), Kaylee Cavanaugh não imaginava o que a esperava lá. Ou quem.

Se a escola Secundária de Eastlake fosse o universo, eu seria uma das luas que circulavam o planeta Emma, constantemente oculta por sua sombra, e feliz por estar ali. Nash Hudson seria uma das estrelas: brilhante demais para se olhar, quente demais para se tocar e no centro de seu próprio sistema solar.

domingo, 9 de outubro de 2011

As Aventuras de Tom Bombadil – J. R. R. Tolkien

"As Aventuras de Tom Bombadil" é uma coletânea de poemas, que tratam não só de algumas aventuras do bom camarada de jaqueta azul e bota amarelada, mas também de assuntos diversos. Sua autoria é variável, estando presentes, por exemplo, poemas de Bilbo e de Sam Gangi.

Tendo em vista que “a poesia é aquilo que se perde na tradução”, o livro é divido em três partes: duas traduções para o português e o original em inglês.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

A Esperança – Suzanne Collins

ATENÇÃO: contém spoiler para quem não leu os volumes anteriores da série.

Katniss Everdeen, a garota em chamas, você acendeu uma fagulha que, se não for contida, pode crescer e se transformar num inferno que destruirá Panem

Depois de sobreviver a mais uma edição dos Jogos Vorazes, Katniss está de volta ao Distrito 12. Ou melhor, ao que restou dele. Após o término do Massacre Quaternário, bombardeiros da Capital lotaram o céu do distrito, devastando tudo e todos que ali se encontravam.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

“Porisso” que este país não vai pra frente


Dizem que gato tem sete vidas. Vivo me perguntando quantas tem o português, que ainda resiste, mesmo sendo tantas vezes assassinado por aí.

Andando por esse mundão de Deus da internet, acabamos por nos deparar com as mais violentas cenas de crime, pra Dexter nenhum botar defeito. Pensando nisso, decidi escrever um post de utilidade pública – quem sabe seus autores sejam refreados se seus métodos se tornarem conhecidos –, com direito a 10 crimes hediondos cometidos por aí.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Cinco Minutos – José de Alencar

Um rapaz, fazendo jus à sua reputação de homem menos pontual do mundo, acaba por perder o ônibus por cinco minutos. Resignado, aguarda o próximo, das sete horas. Ao entrar finalmente no ônibus, ele acaba por se sentar ao lado de uma mulher, cujo rosto está completamente oculto por um chapéu, pela qual se apaixona. Em um determinado local, ela desce do ônibus, deixando-o apenas com sussurros de sua voz misteriosa: “Non ti scordar di me”.

A partir de então, ele passa a fazer de tudo – começando por pegar o mesmo ônibus das sete horas por vários dias seguidos – para descobrir sua identidade e encontrá-la novamente.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

O Beijo das Sombras – Richelle Mead

Apesar da ignorância dos humanos, vampiros existem. Não só existem, como também se dividem em dois grupos: Moroi e Strigoi. Os primeiros são mortais, necessitam de sangue para sobreviver (que obtém de voluntários – a mordida é prazerosa à vítima), mas também de alimentos normais, são afetados pela luz do sol e são capazes de fazer magia, especializando-se em um elemento: fogo, água, ar ou terra.

Já os Strigoi são vampiros imortais, originados a partir de Moroi que se alimentaram de sua vítima até matá-la, ou a partir de humanos, Moroi ou meio vampiros que foram transformados por outros Strigoi. Os Strigoi se alimentam unicamente de sangue – preferindo ingerir sangue Moroi – e não são capazes de fazer magia e de andar sob a luz do sol.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A Fúria dos Reis – George R. R. Martin

ATENÇÃO: contém spoiler para quem não leu o primeiro volume da série.

O verão chega ao fim, juntamente com a esperança de paz em Westeros. Com a morte de Robert Baratheon, a unidade política dos Sete Reinos começa a se desfazer. A ascensão de Joffrey ao trono rapidamente é questionada e reis autoproclamados começam a surgir sob a vista de um cometa vermelho, prenúncio de diferentes acontecimentos para cada um de seus observadores.

Renly Baratheon, irmão mais novo de Robert, é um dos que almejam o Trono de Ferro e une forças no Sul em apoio à sua causa, estando disposto a ignorar o fato de não ser o próximo na linha de sucessão.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

A Guerra dos Tronos – George R. R. Martin

- Pode um homem continuar a ser valente se tiver medo?
- Esta é a única maneira de um homem ser valente.
O inverno está para chegar e, com ele, despertam-se forças mais temíveis que cruéis selvagens para lá da Muralha que protege a fronteira Norte dos Sete Reinos. A Patrulha da Noite, responsável por guardá-la, vem perdendo homens de forma misteriosa na Floresta Assombrada, além de sofrer deserções de patrulheiros aterrorizados, e já não conta com a força de outrora.

Mas essas não são as únicas notícias perturbadoras que chegam a lorde Eddard Stark, senhor de Winterfell: lorde Jon Arryn, a Mão do Rei, está morto e seu velho amigo, o rei Robert Baratheon, oferece o cargo a Ned. Com a suspeita de que lorde Arryn tenha sido assassinado pela rainha, Cersei Lannister, Eddard se vê forçado a aceitar a posição de segundo homem mais importante do reino e pode ser o único capaz de deter os planos da astuta e ambiciosa família Lannister.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Dexter, a mão esquerda de Deus - Jeff Lindsay

Dexter é cruel. Manipulador. Sádico. Meticuloso.
Inteligentíssimo. Um serial killer.
Seus crimes são premeditados.
Sua vítima não é escolhida ao acaso.
Apenas a escória da sociedade.
Merece a morte? "Ouso dizer que sim.
Muitos que vivem merecem a morte.
E alguns que morrem merecem viver.
Você pode dar-lhes vida?
Então não seja tão ávido para julgar e condenar alguém à morte.
Pois mesmo os muito sábios não conseguem ver os dois lados."
Dexter faz justiça com as próprias mãos?
Seus motivos não são nobres.
Não se prende à moral, à ética.
Dexter não tem sentimentos.
Tem sede de sangue. Prisioneiro de sua própria natureza.
Dexter é vilão. Dexter é vítima.
Uma mente perturbada.
E fascinante.

Olá, mundo!

A Coisa

A gente pensa uma coisa, acaba escrevendo outra e o leitor entende uma terceira coisa... e, enquanto se passa tudo isso, a coisa propriamente dita começa a desconfiar que não foi propriamente dita.

Mário Quintana
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...