quinta-feira, 26 de julho de 2012

Resposta Certa – David Nicholls

    PERGUNTA: Tropa de Elite é um filme brasileiro de 2007, dirigido por José Padilha, que tem como tema a violência urbana no Rio de Janeiro e as ações do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Além disso, o filme mostra a hipocrisia da classe média, representada pelos estudantes universitários...?
    RESPOSTA: Maria, Roberta Nunde e Edu.

Brian Jackson é um babaca. Um babaca que está indo para a faculdade. Na bagagem, a sensação de que tudo pode (e VAI) acontecer AGORA, de poder recomeçar, de se reinventar, de mostrar pro mundo que é alguém... enfim, suas expectativas chegam a Plutão. E, como quanto maior a altura, maior a queda, ele vai descobrir que as coisas (ele incluído) não são exatamente como ele pensa.


Para quem já passou por essa fase, a identificação, a nostalgia, é garantida e confere pontos para o livro. Não que todo mundo seja como Brian, mas algumas das suas experiências (pré ou não) universitárias são vivenciadas por muitos.

Seja no fato de discutir com a mãe sobre o que colocar na mala (com ela escondendo coisas - em geral, comida), seja nas expectativas, no dividir alojamento, no fato de ser o primeiro da família a ir para a faculdade, na falta de habilidades esportivas, no descobrir que, às vezes, matar aula é inevitável (e que o mundo não acaba por isso)... enfim, acontecimentos comuns não faltam - e são responsáveis por muitas risadas.

Quando digo que me interesso por badminton, o que, na verdade, estou dizendo é que, se alguém apontasse uma arma para a minha cabeça e me forçasse a praticar um esporte, sob ameaça de morte, e se recusasse a aceitar palavras cruzadas como esporte, então escolheria badminton.

(palavras cruzadas = scrabble, aquele jogo de tabuleiro)

Aliás, situações engraçadas não faltam. Brian é totalmente atrapalhado, SEMPRE mete os pés pelas mãos, um verdadeiro desajustado. A vergonha alheia é constante, e tem hora que é inevitável não pensar um "Não acredito, que idiota!".


Ainda assim, algumas das cenas que deveriam ser engraçadas são um tanto quanto forçadas e de gosto discutível.

Mesmo sendo um protagonista tão peculiar, Brian também passa pelas grandes incertezas da vida, pelas questões importantes, pelo "peso" de ter que crescer, enfim, a tal da "crise dos 20").

Há certas coisas que a gente espera de um homem aos 19 anos. Por exemplo, supõe-se que, aos 19, eu já tivesse viajado de avião, dirigido uma motocicleta, um carro, marcado um gol ou conseguido fumar um cigarro. Aos 19, Mozart já tinha composto sinfonias e óperas, tocado para os reis e rainhas da Europa [...], enquanto eu nunca experimentei milho verde enlatado.

Só que Brian, na verdade, não faz muito caso disso.

Mas devo dizer que não me importo muito com essas coisas, porque, essa noite, vou conseguir realizar uma grande façanha. Pela primeira vez na vida, vou passar a noite inteira na cama com alguém.

Ele está, sim, perdido. Tenta se encontrar, mas não sabe como fazer isso. Quer mudar, recomeçar... sempre! É a história do "segunda-feira eu começo o regime", em que a segunda nunca chega. Muitas vezes tenta se passar por inteligente, engraçado, interessante, e acaba conseguindo apenas ser identificado como pseudointelectual, bobo, esquisito.

Mas e o tal programa do qual ele queria tanto participar?

Ah, é, quase esqueci. A verdade é que isso é meio que um pano de fundo, apenas. Quando o pai de Brian estava vivo (jura?), os dois costumavam ver o Desafio Universitário juntos, tentando adivinhar as respostas. A impressão que fica é que esse era o único momento compartilhado entre eles. Então, quando surge a oportunidade, Brian se inscreve para participar e, de quebra, mostrar seus conhecimentos numa tentativa de impressionar Alice Harbinson - uma garota extremamente linda, que encanta todo espécime do sexo masculino.


Para resumir: Resposta Certa é um amontoado de experiências universitárias. Com direito a uma dose de hipocrisia e de risadas garantidas.



Nota: Não sei se ficou claro, mas a pergunta que eu coloquei no início não está no livro, foi feita por mim (com a ajuda da Wikipédia), para demonstrar um ponto (como ocorre em Resposta Certa).

4 comentários:

  1. Tinha acabado de ler a sinopse de "Um dia" do mesmo autor, David Nicholls, e tava mó interessada. daí, chego aqui e dou de cara com outro dele. haha
    Esse aí vou deixar para quando eu decidir fazer uma segunda graduação (aham. huahua) ou dps de uns anos q eu sair do IQ. :p


    ah, eles estao enrolando com o exame por enquanto (pq ainda to no teórico :/ )... e taxando loucamente. (huahua, estresso mt fácil com esse pessoal. vou seguir seu conselho, senão fico careca.)

    ResponderExcluir
  2. "Um dia" é mais famoso, foi escrito depois, mas lançado antes aqui no Brasil. Também tenho ele, pretendo ler em breve :)
    Esse não é muito empolgante mesmo, "Um dia" deve ser melhor... veremos!

    É, o meu também foi enrolado, e sai caro mesmo... (hahaha, sei como é... complicado... pra não dizer outra coisa :P)

    ResponderExcluir
  3. Brian é um babaca. Um babaca perdedor. Dá pena dele ><
    O livro não é ruim, ele só não é bom...

    ResponderExcluir
  4. "O livro não é ruim, ele só não é bom": excelente definição, é bem isso mesmo! haha

    ResponderExcluir

Não esqueça de comentar! Adoro saber sua opinião! :)
Todos os comentários são respondidos e visitas retribuídas.
Não é necessário escrever: visite meu blog *link do blog* - na verdade, isso desestimula a minha visita.
Obrigada e volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...