segunda-feira, 2 de julho de 2012

Sobre resenhas e lobos

O assunto é velho, pior do que velho, batido. Discute-se, de tempos em tempos, o que, afinal de contas, pode ser considerado resenha.

Quase toda a blogosfera já falou eventualmente sobre isso, mas o que motivou este texto foi, na verdade, um comentário de alguém que se recusava a marcar spoiler nas suas resenhas no skoob porque "resenha tem que ter spoiler ou não é resenha, se vocês acham que não, é porque são um bando de noob e mimimi...." (as palavras foram, obviamente, outras, mas o teor foi esse).

Acontece que - acredite se quiser - o skoob não é uma rede fechada para estudiosos da literatura romena contemporânea. É um site popular, uma rede social para leitores.

Conheci o site relativamente no começo, através de alguma das comunidades sobre livros/leitura das quais participava no meu falecido orkut - sou a usuária nº 7676 -, e todas as mudanças e promoções (você quer um ipad ou 100 livros?) feitas lá foram no sentido de popularizar o site mesmo. E isso não é ruim.

O skoob, tendo originalmente essa finalidade ou não, acabou por contribuir para a popularização da leitura. Já vi pessoas afirmarem que passaram a ler mais depois de terem feito seus perfis no site simplesmente para aumentar o números de "lidos" na estante virtual. Além disso, é muito fácil encontrar futuras leituras por lá - com tantas resenhas, espaço para discussões, marcação de livros similares, sinopses disponíveis... só não encontra algo quem não quer.

Desde que comecei a me aventurar nas discussões online sobre livros - facilitadas pelo skoob, mas já existentes antes dele - a questão "isso é resenha", "isso não é resenha" esteve presente. Blogs literários (que eu já acompanhava muito antes de criar este aqui) também eram jogados aos lobos.

E é aí que eu quero chegar. A maioria dos blogueiros literários e resenhistas de skoob são amadores, pessoas que gostam de ler e compartilhar sua opinião sobre o que leram - mesmo que não tenham estudado para isso.

E nesse contexto, qualquer forma de "resenha" (entre aspas por não ser a definição clássica de resenha) se torna válida.

Por exemplo, existe, no skoob, uma resenha de "Iracema", de José de Alencar, que, sem dúvida, deixa literatos de cabelo em pé, mas que ganhará quantos thumbs up o site permitir de todas as (ex)crianças de 10 anos obrigadas a ler o bendito na escola (eu incluída - e, sim, achei genial): "Mim querer dormir enquanto filha de Araquém choraminga".

Claro que essa não é uma "resenha de verdade", mas duvido que a intenção da autora fosse essa. E, com certeza, seu objetivo foi atingido.

A propósito, você já leu o que aparece quando você clica em "Clique aqui e faça a sua resenha" no skoob? Vou facilitar a sua vida: "Escreva aqui o que achou do livro / o que aprendeu com ele". Não soa muito acadêmico, não é mesmo?

Aqui no blog eu costumo escrever sobre livros, mas nunca nomeei meus textos como "resenhas", justamente para não entrar no mérito da palavra (e evitar estudiosos radicais). Em todo o caso, na falta de um termo melhor, minhas "resenhas" costumam  ter uma pseudo-sinopse (falo um pouquinho sobre a história, para interessar o leitor), uma citação (para a pessoa "sentir" como é o livro por conta própria, o estilo de escrita do autor, a dificuldade de leitura) e minha opinião sobre o livro (desde a forma de narração à história propriamente dita). No mais, faço experimentações (essa sim minha área) nos textos (não devem existir dois que sejam escritos da mesma forma no blog). 

E sabe o que é mais engraçado? Que os textos de maior sucesso (presumo pela quantidade de visualizações/comentários) aqui do blog são justamente os que têm um caráter mais de conversa, os mais "viajados". Não os acadêmico-filosófico-científicos. E é assim que pretendo continuar. Cada vez mais modernista.

- Vá para o inferno, Gondim. Você acanalhou o troço. Está pernóstico, está safado, está idiota. Há lá ninguém que fale dessa forma!
Azevedo Gondim apagou o sorriso, engoliu em seco, apanhou os cacos da sua pequenina vaidade e replicou amuado que um artista não pode escrever como fala.
- Não pode? perguntei com assombro. E por quê?
Azevedo Gondim respondeu que não pode porque não pode.
- Foi assim que sempre se fez. A literatura é a literatura, Seu Paulo. A gente discute, briga, trata de negócios naturalmente, mas arranjar palavras com tinta é outra coisa. Se eu fosse escrever como falo, ninguém me lia.
São Bernardo - Graciliano Ramos

Portanto, se você quer uma crítica especializada, sugiro sair do skoob (e deste blog) e fazer uma busca no litfinder (ou qualquer que seja o banco de dados sobre literatura equivalente ao scifinder, se é que existe).Você não fica frustrado. Ninguém pega spoiler sem querer. Todo mundo fica feliz.

8 comentários:

  1. Raphaella,
    Tem coisas que as pessoas comentam dos filmes, livros. Que alguns dizem que é spoiller, não me importo de saber muitas coisas sobre as obras (spoiler).


    Mas, respeito a pessoa não gostar de ler certas coisas, e aquele comentário que dei sobre Lost, claro que iria ficar muito chateada, aquele sim é spoiler.
    Espero que vc me perdoe e tire meu comentário, espero que dê p/ vc tirar!!
    NÃO FIZ POR MAL.

    ResponderExcluir
  2. Estou do mesmo lado que você. Acho que até escrevi algo parecido no niver do blog.


    Não faz sentido mesmo ficar julgando textos alheios nesse quesito "profissionalismo". Cada um escreve o que quer, da forma que quiser e lê quem quiser também.
    Os blogs literários são informais, não profissionais e os leitores gostam desse jeito. Para resenhas de verdade há outro público. Não faz sentido um apreciador de resenhas profissionais ficar zombando dos blogs. Ou os blogs zoarem outros blogs.


    O problema é que eu acho que há o básico para se postar essas resenhas. Saber português é o mínimo. Tem texto que só conta a história ou vem com 3 linhas de "resenha"... E o blogueiro ainda vem mandar spam pra gente comentar. Aí não dá.


    Adoro os textos informais e fujo dos "profissionais". Sou gente normal, gosto de ler textos normais escrito por pessoas normais rs


    PS: De qualquer forma, odeio spoilers u.u

    ResponderExcluir
  3. Não seu preocupe quanto a isso, de verdade! =)

    ResponderExcluir
  4. Sim, sim, é só clicar no X ali em cima, né? :)



    Nisso eu concordo, já até pensei em fazer um post sobre isso também, mas não quis atrair a ira dos dito-cujos e amiguinhos :P
    Não que eu fosse citar alguém especificamente - ia deixar meio "se a carapuça serviu..." - mas aprendi que até fazendo assim o povo que acha que é pra ele dá piti (já aconteceu no twitter!).


    Hahaha, eu também sou normal (pelo menos eu acho) então é bem por aí mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Eu não sou muito fã de resenhas acadêmicas. São chatas, engessadas e bem menos informativas do que as resenhas "informais". E ainda sou de uma opinião que uma palavra representa aquilo que as pessoas a utilizam para representar: ou seja, resenha é a opinião de alguém acerca de alguma coisa, sem necessariamente ter que usar as amarras acadêmias.
    Eu só não gosto de resenhas que sejam resumos e que contenham spoilers >< Nos blogs que já sigo, sempre pulo a parte da sinopse/resumo e parto direto para a opinião do blogueiro, que é o que mais me interessa.

    ResponderExcluir
  6. Aham. Além disso, gosto quando elas têm um certo humor - coisa que, obviamente, não existe em resenha acadêmica :)Pois é, o maior absurdo que eu já vi foi gente dizendo em resenha (só nas negativas, claro): "deixe claro que essa é a SUA opinião" :P Tsc, tsc, tsc... É óbvio, não? Essas coisas que dão vergonha alheia...
    Ah, dependendo de quem escreveu, eu até prefiro ler as sinopses nos blogs (as feitas mesmo, não ctrl+C, cltr+V das oficiais) porque elas têm menos chance de vir com spoiler rs

    ResponderExcluir
  7. Raphaella, eu também gosto de resenhas bem humoradas, embora seja totalmente incapaz de escrever uma ><
    Ah, eu fico muito brava quando leio isso... porque é tipo a MINHA resenha falando sobre as MINHAS impressões sobre o livro, mas é CLARO que a opinião não é minha, é da RAINHA da Inglaterra ¬¬'' É tão óbvio - as pessoas deveriam perceber...
    Eu gosto mais das sinopses dos blogs também - porque as de editoras costumam ter spoiler (da Arqueiro é constante vir com spoilers gigantescos) - mas, ainda assim, eu só leio se estiver na dúvida... muitas vezes só a opinião do blogueiro já é o suficiente para saciar minha curiosidade.

    ResponderExcluir
  8. É, eu até que tento, mas nunca dá certo xD
    Né? Cada uma que aparece... rs
    Aham, meu lema também é esse: sempre fugir de spoiler! :)

    ResponderExcluir

Não esqueça de comentar! Adoro saber sua opinião! :)
Todos os comentários são respondidos e visitas retribuídas.
Não é necessário escrever: visite meu blog *link do blog* - na verdade, isso desestimula a minha visita.
Obrigada e volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...