segunda-feira, 15 de outubro de 2012

@mor – Daniel Glattauer

É uma verdade universalmente conhecida que errar é humano.

Emmi Rothner erra, não uma, nem duas, mas três vezes o destinatário de seu e-mail. Cansado de receber pedidos de cancelamento da assinatura da revista Like, Leo Leike comunica o erro à Emma, que prontamente se desculpa.

Só que ela não para por aí. Meses depois, erra novamente, aparecendo na caixa de entrada de Leo na - nada mais, nada menos - forma de um e-mail coletivo. Super agradável, não?

Cara Emmi Rothner,
nós mal nos conhecemos ou não nos conhecemos absolutamente. Contudo, agradeço pelo seu afetuoso e muitíssimo original e-mail coletivo! É preciso que a senhora saiba: eu amo e-mails coletivos, enviados a um coletivo ao qual eu não pertenço.
Sds, Leo Leike

A partir daí, os dois começam a trocar cada vez mais correspondência. No começo, os assuntos são genéricos, mas, com o passar do tempo, acaba surgindo algo nas entrelinhas: nada muito explícito, só insinuado.

Escrever é como beijar, só que sem os lábios. Escrever é beijar com a cabeça.

E aí acompanhamos o desenrolar dessa história, bisbilhotando os e-mails de Leo e Emmi (os dois escrevem decentemente: nada de internetês - o que lhes garante pontos positivos, com certeza -, ainda que a linguagem seja simples).

É interessante que o livro seja dessa forma: só se fica sabendo aquilo que um diz ao outro, não é possível ter uma noção muito exata de como são os dois fora dali. Até porque eles próprios tem um certo receio de misturar suas vidas privadas com suas vidas online, evitando tocar em assuntos da "esfera real". Mas será que existe mesmo uma forma de separar uma coisa da outra? Até que ponto as coisas são preto e branco?

E quanto daquilo que um vê no outro é real e quanto é imaginação?

Como qualquer piriguete literária pode atestar.

Por vezes, Emma consegue ser bem hipócrita e egoísta, é acostumada a ter tudo o que quer. Leo é mais moderado, sonhador, e acaba deixando que ela o conduza - mesmo quando percebe seus joguinhos.

Leo se contém, deixa implícito, enquanto Emmi usa todas as letras - ainda que ela queira se esconder no anonimato, na aparente inocência, ficam claros seus verdadeiros sentimentos: é ela que sempre avança o sinal (a não ser que seja meia-noite e muitas garrafas de vinho já tenham se passado).

Mas será que eles são assim mesmo? Ou essa foi só a minha percepção?

Vê o dilema? Tanto quem lê, quanto os dois, tem acesso aos mesmos e-mails: cada um pode enxergar uma coisa distinta, e isso é uma das coisas mais interessantes no livro.

Daí, a inevitável indecisão: devem ou não se encontrar? Correr ou não correr o risco? Será que o relacionamento sobrevive a um encontro? É melhor viver da ilusão? O que um quer/espera do outro?

Expectativa x realidade

Em @mor, aquilo que começou com uma simples letrinha errada pode atingir proporções magníficas - a menos que a realidade se interponha.

Nada melhor que uma boa dose de realidade.

6 comentários:

  1. Parece ser um livro singelo (hein?)
    "singelo" ficou estranho, mas acho q deu p/ entender neh? :p

    Quando eu bati o olho nesse livro, pensei naquele filme com Tom Hanks (acho... tenho um dom natural para lembrar nomes de atores), com essa coisa de e-mail também... bonitinho, parece bom para relaxar.

    aahhh, esses dias estava estudando a possibilidade de começar a ler A Metamorfose! Que sincronia! (exceto pelo fato q enquanto eu pensava a respeito vc já leu e discutiu. huahua)

    ResponderExcluir
  2. É bem simples mesmo, mas com algumas mini-questões-morais-da-era-online embutidas rs. Bonitinho e bom passatempo sim :)

    Não sei que filme é esse, não... em todo o caso, sou pior que você para lembrar essas coisas :P
    Mas é engraçado que tenha um filme parecido, quando minha mãe terminou de ler @mor, ela soltou um "esse livro nunca vai virar filme, né?" e eu concordei, mas agora sei lá haha

    Ahh, leia sim! (se eu soubesse tinha esperado pra gente fazer um clube-do-livro-online haha - esse é um livro que dá vontade de comentar rs).

    ResponderExcluir
  3. Olá meninas o filme que a Cíntia comentou é Mensagem para você adoooooro!!
    Eu tenho e vejo umas 3 vezes ao ano kkkk!!
    Com Meg Ryan e Tom Hanks super atores!!! Mensagem p/ vc tbm é inspirado no clássico "Nunca te Vi Sempre te Amei" soh que por cartas pois na época não existia computador, maravilhoso tbm e tenho tbm e tem livros e livraria no filme uhuuhuhu!! Se vcs estiverem no Rio empresto!!!

    Bjk e boas leituras
    PS: Ainda estou com Grandes Esperanças...

    ResponderExcluir
  4. Ah, tá! Eu nunca vi o filme mesmo, então :)
    Isso é uma coisa que fiquei pensando enquanto lia - se eles usassem msn, alguma(s) rede(s) social(is) (facebook/orkut/etc), skype, telefone... a história seria bem diferente... 
    Se fossem cartas então, imagina! E pra esperar chegar?! Acho que a Emmi "morreria do coração"! haha

    A gente é de SP (tanto eu, quanto a Cinthia), mas obrigada por oferecer :]

    PS: Eu estou devagar nas leituras (ressaca literária aguda ataca de novo!). Preguiça de tudo! Provavelmente só li @mor porque é curtinho e vai fácil, fácil por causa do formato (e-mails) rs.

    ResponderExcluir
  5. adorei o livro, adorei a sua abordagem sobre ele.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada, fico feliz em saber que vc gostou! :]

    ResponderExcluir

Não esqueça de comentar! Adoro saber sua opinião! :)
Todos os comentários são respondidos e visitas retribuídas.
Não é necessário escrever: visite meu blog *link do blog* - na verdade, isso desestimula a minha visita.
Obrigada e volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...